COVID-19 Legal Lab

COMPRAS PÚBLICAS E COMPLIANCE EM TEMPOS DE PANDEMIA

Com o acelerado avanço da pandemia do coronavírus, diferentes entidades governamentais e instituições privadas iniciaram verdadeira corrida para adquirir medicamentos e equipamentos necessários ao enfrentamento da doença. A junção desses fatores gerou um cenário de escassez, qualificado pela impossibilidade de diferir a compra dos insumos necessários à preservação da vida.

A sócia Viviane Kunisawa escreveu sobre a competição internacional pelos equipamentos necessários ao enfrentamento do COVID-19, apontando formas de ordená-la. Neste artigo, discutiremos o tema sob o enfoque das regras de contratação aplicáveis aos entes públicos brasileiros e das melhoras práticas de compliance, que devem ser adotadas por empresas privadas interessadas em vender tais bens à Administração Pública.

A relevância dessas discussões não é hipotética. Há notícias de que, ao menos, cinco Governadores já estão sob investigação da Procuradoria-Geral da República, por irregularidades na compra de respiradores mecânicos¹. Denúncias de corrupção na aquisição de tais equipamentos já levaram ao afastamento de secretários e subsecretários de saúde de diversos entes, incluindo os Estados do Rio de Janeiro² e de Santa Catarina³.

Os problemas, nem sempre, estão associados a atos de improbidade administrativa.

Discrepâncias nos valores pagos, muitas vezes, decorrem de diferenças na tipologia dos ventiladores⁴, no processo de fabricação, na qualidade dos equipamentos, na logística da entrega e na escala da contratação. Segundo reportagem do Jornal Folha de São Paulo, os preços pagos por cada respirador “variam até 80% entre os estados. Enquanto o Pará pagou R$ 120 mil por unidade, Roraima investiu R$ 216 mil por equipamento”, por exemplo.

Outros distúrbios resultam da precipitação de gestores públicos, que, no justificável afã de suprir demandas urgentes, acabam não tomando todas as cautelas exigidas pela legislação.

O primeiro ponto a esclarecer diz respeito à necessidade de realização do procedimento licitatório. A redação originária do art. 4º, da Lei nº 13.979/2020, previa que: “Fica dispensada a licitação para aquisição de bens, serviços e insumos de saúde destinados ao enfrentamento” da pandemia. A Medida Provisória nº 926/2020 alterou a redação do dispositivo transcrito, passando a prever que a licitação “é dispensável”.

A Medida Provisória deixa evidente que o ato de dispensa precisa ser, justificadamente, formalizado pelo gestor responsável.

Embora a Administração Pública tenha sido exonerada de realizar estudos prévios exaustivos, a Lei obriga a elaboração de “termo de referência simplificado ou de projeto básico simplificado⁵”, contendo uma série discriminada de elementos mínimos⁶. Entre eles, exige-se a apresentação de estimativas de preços, para evitar danos ao erário, que podem ser obtidas pelos seguintes parâmetros: “a) Portal de Compras do Governo Federal; b) pesquisa publicada em mídia especializada; c) sítios eletrônicos especializados ou de domínio amplo; d) contratações similares de outros entes públicos; ou e) pesquisa realizada com os potenciais fornecedores”.

Reconhecendo a possibilidade de oscilações ocasionadas pela variação de preços, a Lei autoriza que os equipamentos necessários ao enfrentamento da pandemia sejam contratados “por valores superiores”, desde que se acoste substanciosa justificativa aos autos do processo administrativo referente à contratação direta⁷.

A Lei nº 13.979/2020, assim como sucessivas Medidas Provisórias, têm acrescido regras minudentes para regeras contratações públicas relacionadas ao combate do coronavírus enquanto durar a pandemia.

De modo geral, o legislador tem permitido que os gestores públicos desbordem dos rigores exigidos pela Lei nº 8.666. No entanto, o regime excepcional de contratação pública que vem sendo erigido não desobriga os gestores de agir em conformidade com os Princípios da Administração Pública, especialmente o da impessoalidade, moralidade, publicidade, eficiência, economicidade e motivação.

Para os gestores públicos, o resumo é o seguinte: todas as contratações devem ser justificadas, buscar impessoalmente as condições mais vantajosas ao Poder Público e receber ampla publicidade. Em relação à transparência, o legislador foi expresso e específico: “Todas as contratações ou aquisições realizadas com fulcro nesta Lei serão imediatamente disponibilizadas em sítio oficial específico na rede mundial de computadores (internet), contendo, no que couber, além das informações previstas no § 3º do art. 8º da Lei nº 12.527, de 18 de novembro de 2011, o nome do contratado, o número de sua inscrição na Receita Federal do Brasil, o prazo contratual, o valor e o respectivo processo de contratação ou aquisição⁸”.

Os cuidados, de certo, não devem ser adotados apenas por gestores públicos. Para prevenir prejuízos reputacionais, além de sanções civis, administrativas e criminais, as empresas privadas precisam adotar providências regulatórias e de compliance específicas.

Em relação aos ventiladores mecânicos, por exemplo, as empresas interessadas em vendê-los para a Administração Pública precisam:

a. Estar registradas perante as autoridades sanitárias, possuindo Autorização de Funcionamento – AFE, Licença Sanitária (VISA local), Certificado de Boas Práticas de Fabricação emitido pela ANVISA para Equipamentos de Alto Risco (Classe III);

b. Estar devidamente certificadas pelo SBAC – Sistema Brasileiro de Avaliação de Conformidade;

c. Os respiradores devem ter sido produzidos em conformidade com a Resolução RDC 16/2013 da ANVISA, que estabelece requisitos aplicáveis ao projetista e ao fabricante real em seus respectivos sistemas de qualidade;

d. O produto deve atender os requisitos da Resolução RDC 185/2001 da ANVISA, que trata do Regulamento Técnico referente a produtos médicos;

e. Atenda aos requisitos da Portaria INMETRO 54/2016, que estabelece as regras para certificação.

f. Conformidade com a ISO 14971, que trata de Gerenciamento de Riscos.

g. Tabela comparativa contendo as semelhanças e diferenças das características e especificações técnicas entre as diversas formas de apresentação dos modelos de equipamentos, quando aplicável; Instrução de uso ou manual do usuário segundo itens 1 e 3 do anexo III.B da RDC nº 185/01

A questão da precificação de equipamentos médicos, no período e relacionados à pandemia, é também sensível na perspectiva das empresas privadas. Como destacado, inúmeras variáveis podem impactar o valor de uma mercadoria, sendo a lei da oferta e da procura irrevogável por atos voluntariosos – ainda que bem intencionados. Por outro lado, o Código de Defesa do Consumidor caracteriza como prática abusiva a elevação sem justa causa do preço de produtos ou serviços. Elevações desproporcionais de preço durante a pandemia, ainda em cenários de aumento da procura, podem ser caracterizadas como prática abusiva, atrair danos reputacionais e mesmo reprimendas jurídicas.

Nesse cenário excepcional, é recomendável que as empresas possuam uma política comercial, com normas claras e bem definidas, capazes de conciliar os seus interesses comerciais com o respeito à transparência, à livre concorrência e ao interesse público.

Idealmente, deveria a empresa interessada em contratar com o Poder Público revelar, pelo menos ao ente contratante, as listas de preços praticados no ano anterior, justificando eventuais incrementos com base nas flutuações cambiais e dinâmicas de mercado verificadas no período.

A política comercial determina o modus operandi da empresa, bem como os níveis de desconto, rebates, bonificações, as regras em caso de devolução, credenciamento de distribuidores e representantes, operações logísticas, estruturação territorial, atuação em licitações, prazos e forma de pagamento.

Tanto para os gestores públicos quanto para as empresas privadas, a transparência parece ser a melhor escolha. Como Louis Brandeis⁹ afirmou, “sunlight is said to be the best of disinfectants; electric light the most efficient policeman”.

¹ Notícia disponível em: https://www.revistaceara.com.br/pgr-investiga-pelo-menos-5-governadores-apos-denuncias-na-compra-de-respiradores/.

² Notícia disponível em: https://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2020/05/08/corrida-por-respiradores-alimenta-golpes-e-suspeitas-de-corrupcao-no-brasil.ghtml.

³ Notícia disponível em: https://www.otempo.com.br/brasil/covid-19-sc-perde-2-secretario-apos-apuracao-sobre-compra-de-respiradores-1.2335550.

⁴ Os respiradores são divididos basicamente em dois tipos: a. os respiradores utilizados à beira-leito, para uso contínuo, com maior capacidade técnica de recursos ventilatórios e os respiradores de transporte, que não possuem a mesma robustez e podem resultar em funcionamento inadequado, especialmente com pessoas obesas. Os primeiros são notadamente mais caros que os segundos.

⁵ Lei nº 13.979/2020, art. Art. 4º-E, com a redação dada pela MP nº 926/2020.

⁶ Lei nº 13.979/2020, art. Art. 4º-E, § 1º: “O termo de referência simplificado ou o projeto básico simplificado a que se refere o caput conterá: I - declaração do objeto; II - fundamentação simplificada da contratação; III - descrição resumida da solução apresentada; IV - requisitos da contratação; V - critérios de medição e pagamento; VI - estimativas dos preços obtidos por meio de, no mínimo, um dos seguintes parâmetros: a) Portal de Compras do Governo Federal; b) pesquisa publicada em mídia especializada; c) sítios eletrônicos especializados ou de domínio amplo; d) contratações similares de outros entes públicos; ou e) pesquisa realizada com os potenciais fornecedores; e VII - adequação orçamentária”.

⁷ Lei nº 13.979/2020, art. Art. 4º-E, § 3º: “Os preços obtidos a partir da estimativa de que trata o inciso VI do caput não impedem a contratação pelo Poder Público por valores superiores decorrentes de oscilações ocasionadas pela variação de preços, hipótese em que deverá haver justificativa nos autos”.

⁸ Lei nº 13.979/2020, art. Art. 4º-E, § 2º.

⁹ Associate Justice da Suprema Corte dos Estados Unidos, entre 1916 e 1939.

See PDF version
here
CGU's Lilac Guide to Combating Moral Harassment, Sexual Harassment, and Discrimination in the Public Service
O Guia Lilás da CGU no Combate ao Assédio Moral, Assédio Sexual e à Discriminação no Serviço Público
The Unpredictability and the Excessive Burden Theories
A Teoria da Imprevisão e a Teoria da Onerosidade Excessiva
Results from the US Securities & Exchange Commission Inspection in 2023
Os Resultados da Fiscalização da Securities & Exchange Commission nos EUA em 2023
Quando o Fomento à Igualdade de Gênero Esbarra no Direito à Privacidade
When Supporting Gender Equality Conflicts with Privacy Rights
Principais Requisitos de um Contrato de Confidencialidade
Main Requirements of a NDA
O Combate à Corrupção em Singapura
The Fight Against Corruption in Singapore
Medication Leaflets of Generic and Patented Medicines
Bulas de Medicamentos com Patentes em Vigor e Bulas de Medicamentos Genéricos
The effectiveness of anti-corruption clauses in international contracts
A eficácia da cláusula anticorrupção em contratos internacionais
Contract Termination Clauses: When and How to Use Them
Cláusulas de Rescisão Contratual: Quando e Como Utilizá-las
Petrobras no Topo dos Depositantes Nacionais de Patentes
Petrobras at the Top of Brazilian Patent Applicants
The Corruption Perceptions Index in 2023
O Índice de Percepção da Corrupção em 2023
The Inheritance Loss due to Unworthiness
A perda da herança por indignidade
When to use Master Service or Goods Supply Contracts
Quando contratos master de serviços ou de fornecimento de bens devem ser utilizados
A Bula Digital de Medicamentos
Electronic Drug Labels
O Guia de Compliance Definitivo na Área de Saúde nos EUA
The Definitive Compliance Guide for Health Care in the USA
Quando a Corrupção Devolve o Feitiço ao Feiticeiro!
When Corruption Turns the Tables!
The Integrity Management Units, and the Brazilian Office of the Comptroller General’s Public Integrity Panel
As UGIs e o Painel de Integridade Pública da CGU
The French Anti-Corruption Act (Sapin II): A Perspective After 7 Years in Force
A Lei Francesa Anticorrupção (Sapin II): uma Perspectiva após 7 Anos em Vigor
Decisões da Autoridade de Proteção de Dados Irlandesa são postas em xeque
Decisions by the Irish Data Protection Authority are undermined
FDA innovates with new guide for drug approval in the United States
FDA inova com novo guia para aprovação de medicamentos nos Estados Unidos
Artificial intelligence and its regulation in Brazil
A inteligência artificial e sua regulação no Brasil
The Fight Against Fake News Around the World
O Combate às Fake News pelo Mundo
Everything you need to know about ISO
Tudo o que você precisa saber sobre a ISO
How to Implement ERM
Como Implementar o ERM
More Sanctions Applied By The Brazilian Data Protection Authority signal that Violations of the LGPD Will Not Be Tolerated
ANPD Aplica Sanções Pela Terceira Vez e Deixa Claro que Violações à LGPD Não Serão Toleradas
Brazilian Data Protection Authority Applies Second Penalty for Violation of the Data Protection Act
ANPD Aplica a Segunda Penalidade por Violação da LGPD
Antitrust and anti-corruption authorities are already monitoring the 2026 World Cup
Copa do mundo de 2026 já está na mira das autoridades antitruste e anticorrupção
Retaliation against non-disclosure agreements in the USA
Acordos de confidencialidade sofrem restrição nos EUA
SASE and what it can do for information security!
O que o SASE pode fazer pela segurança da informação
All there is to know about the Brazilian Freedom of Information ACT
Tudo sobre a lei de acesso à informação
Registration on the tranparency portal in Brazil
Os cadastros no Portal da Transparência no Brasil
Technology as an ally to transparency and fighting corruption
A tecnologia aliada à transparência e ao combate à corrupção
Understanding why VPNs may be replaced by ZTNA
Entenda como as VPNs podem perder espaço para ZTNA
Improvements in compliance programs according to the OECD
Aprimoramentos no programa de compliance segundo a OCDE
Only the US and Switzerland effectively enforce their Anti-Corruption Laws Abroad
Apenas EUA e Suíça aplicam efetivamente suas Leis Anticorrupção no Estrangeiro
Israel Approves Limitation of Supreme Court Powers Amid Huge Controversy
Israel Aprova Limitação de Poderes da Suprema Corte em Meio a Grande Polêmica
Brazilian data protection authority applies first penalty for violation of data protection act
Primeira penalidade aplicada pela ANPD por violação da LGPD
How data classification (or lack of it) affects your business
Como a classificação de dados (ou a falta dela) afeta o seu negócio
Discussing the conflict of interest in the federal government
Dissecando o conflito de interesses na administração pública
Lidando com dilemas éticos nos négócios
Dealing with ethical dilemmas in business
Highest award ever paid by the US Securities and Exchange Commission to a whistleblower
Maior prêmio já pago a um informante pela Comissão de Valores Mobiliários dos EUA
The controversy on data sharing between Europe and the USA
A polêmica em torno do compartilhamento de dados entre Europa e EUA
A lei de due diligence da cadeia de suprimentos (lksg) na Alemanha
The German supply chain due diligence act (LKSG)
United Nations guiding principles on business and human rights
Princípios orientadores sobre empresas e direitos humanos das Nações Unidas
Como investigar a corrupção
How to investigate corruption
Padrões obscuros em proteção de dados
Dark patterns in data protection
Departamento de justiça dos EUA atualiza seu guia para programas corporativos de Compliance
U.S Department of justice updates its guide to corporate compliance programs
The EDPB publishes new guidelines for personal data protection
O EDPB publica novas diretrizes para proteção de dados pessoais
The sponsorship ethics of pharmaceutical and medical companies for physicians speaking in conferences
A ética do patrocínio de indústrias farmacêuticas e médico-hospitalares na participação de médicos em congressos
ANPD REGULA A APLICAÇÃO DE SANÇÕES ADMINISTRATIVAS
ANPD REGULATES THE APPLICATION OF ADMINISTRATIVE SANCTIONS